A história do futuro.

Mobilidade elétrica smart story – de 1981 até hoje.

O smart fortwo foi concebido de modo radicalmente diferente desde o início, não como um mero veículo, mas como um conceito de mobilidade urbana alimentado a eletricidade, preservando o ambiente e os recursos, com um elevado grau de personalização e preço acessível para todos. A história da mobilidade elétrica da smart não nos remete apenas para o passado:

com a nova família elétrica, ela indica-nos o caminho para o futuro, uma vez que todos os modelos da smart estão disponíveis na versão elétrica, assumindo, mais uma vez, a posição de vanguarda.

Ilustração mostra edições especiais.

Mais

Projeção do futuro.
 

Maior é melhor? Em 1981 encontramos desde logo dois exemplos que contradizem esta teoria. Na Exposição Internacional do Rádio em Berlim, o Compact Disc celebra a sua estreia – e, com dimensões claramente inferiores, oferece mais espaço para música que um LP.

Ao mesmo tempo, a Daimler apresenta o estudo do veículo "NAFA" (NAhverkehrsFAhrzeug, veículo para o trânsito local), um automóvel citadino extremamente compacto, que não oferecia apenas muito espaço num volume reduzido, como deveria resolver problemas como a escassez de lugares de estacionamento e as estradas sobrelotadas. Com apenas 2,50m de comprimento e 1,50m de altura e largura, o "NAFA" mostrou uma dimensão de pensamento totalmente nova. Uma ideia que soou na altura tão bem como agora. Porque que motivo não foi possível, à época, transpor o caminho do departamento de desenvolvimento para a cidade? O "NAFA" não correspondia aos elevados critérios de segurança da Mercedes-Benz. Os engenheiros encararam-no como um estímulo e alcançaram mais tarde um êxito decisivo com o princípio do monobloco transferido da Fórmula 1: nascia a célula de segurança tridion.

1981
NAFA – mobilidade elétrica smart story 1981

Isso é o que queremos ver.


Algumas inovações precisam de algum tempo até serem realmente postas em prática. A videotelefonia, por exemplo: quando, em 1992, a AT&T apresentou o VideoPhone 2500 ao público em geral teve de constatar que o número de pessoas dispostas a pagar 1599$ pelo aparelho não era assim tão grande.

Nesse mesmo ano, a recém criada Micro Compact Car AG, uma joint venture entre a Daimler-Benz e o inventor da Swatch Nicolas Hayek, apresentou o seu primeiro protótipo: para duas pessoas, com acionamento elétrico, ultracompacto, ultrainovador. Hoje, todos os smartphones são VideoPhones. E amanhã, cada smart será um veículo elétrico?

1992
Micro Compact Car – mobilidade elétrica smart story 1981

Uma questão de tamanho.

 

A construção do Burj al Arab no Dubai criou um hotel de superlativos. Dimensão, forma, situado no mar, luxo em excesso – não admira que tenha obtido logo sete estrelas. Até então, o mundo não tinha visto nada assim.

Também no desenvolvimento do smart se excederam as expetativas, pois, nesse mesmo ano, a Micro Compact Car AG apresentou dois protótipos em simultâneo: o Eco-Speedster e o Eco-Sprinter, já movido a eletricidade.

1994

O mais importante é participar.



As megacidades florescem e cada vez mais pessoas convivem num espaço cada vez mais reduzido. De 1976 até 1996, o número de megacidades aumentou de 5 para 14, uma evolução que deu maior destaque à necessidade de novas soluções de mobilidade.

A resposta surgiu em 1996, no âmbito dos Jogos Olímpicos de verão em Atlanta.  O mundo reuniu-se durante um verão inteiro nesta cidade relativamente acessível e pôde ver, pela primeira vez, o precursor do smart EQ fortwo.

1996

Tecnologia para Marte e as pessoas.


Situações extraordinárias exigem medidas extraordinárias – como, por exemplo, veículos de um tipo totalmente novo. O veículo explorador "Sojourner", que a sonda espacial "Pathfinder" colocou a viajar em Marte, não tem muito em comum com um automóvel. Afinal tinha de superar desafios muito diferentes.

Os automóveis apresentados pela Micro Compact Car AG na IAA também pouco tinham em comum com os produtos da concorrência. O Eco-Sprinter e o Eco-Speedster foram pensados consequentemente para a cidade, estando, por isso, à frente da sua época: eles oferecem soluções enquanto outros ainda procuram identificar os problemas.

1997

Tudo aqui é tão colorido.

O ano de 1998 é um exemplo perfeito da força de ideias inovadoras, ousadas. Até este ano os computadores tinham uma aparência tão emocionante como as declarações fiscais feitas neles. Depois chegou a Apple e apresentou o iMac: colorido, simpático, completamente diferente de tudo o que alguma vez se tinha visto e consequentemente direcionado para o utilizador.

No mesmo ano, o smart fortwo (à época com a designação smart City-Coupé) festejou o seu lançamento no mercado: colorido, alegre, diferente de tudo o que alguma vez se tinha visto e consequentemente direcionado para o utilizador. Duas ideias que mostram na perfeição aquilo que é possível, quando o status quo não é entendido como um obstáculo, mas como um desafio.

1998
smart City Coupé – mobilidade elétrica smart story 1998

Ready for take-off.
 

Chegou a altura para novos horizontes: o americano Steve Fossett bate com 42.467 quilómetros de voo contínuo um novo recorde mundial. Mas ele não é o único a conceber a mobilidade um pouco mais além que outros. 

No British International Motor Show em Londres, o smart fortwo elétrico celebra a sua estreia mundial. À época, aliás, sob a designação smart fortwo ev para "electric vehicle". Com o motor elétrico de 30 kW / 41 CV de potência e a bateria ZEBRA de energia elevada, o smart fortwo ev atinge, com um carregamento da bateria, uma autonomia de 110 km e uma velocidade máxima de 120 km/h. A bateria foi concebida para um mínimo de 1000 carregamentos ou para dez anos.

2006

Os Top 100.
 

Na lista da Times das 100 pessoas mais influentes de 2007 figurou também, a par de outros populares e poderosos clientes habituais, uma verdadeira pensadora pouco convencional: Lisa Randall, uma cientista da física teórica da Universidade de Harvard. Juntamente com outros físicos, descobriu a existência de outras dimensões no universo para além das três que conhecemos.

Os 100 pilotos de teste, que no mesmo ano foram selecionados em Londres para conduzirem um dos primeiríssimos smart electric drive como modelo de leasing, assumiram também um lugar de destaque. Os pioneiros elétricos não só foram isentados do pagamento da portagem urbana de Londres, como experienciaram o futuro da mobilidade em primeira mão. E entraram, desta forma, também numa nova dimensão.

2007
Modelo de testes Londres – mobilidade elétrica smart story 2007

O melhor arranque de série do ano.
 

2009 foi um bom ano para a televisão. Muitas séries novas são desenvolvidas, filmadas e emitidas. Há uma que se destaca em particular: com a primeira transmissão da série de comédia "Uma Família Muito Moderna" não nasceu apenas um vencedor sistemático em todas as entregas de prémios, mas também um conceito de série inovador, com o formato "mockumentary" (documentário satírico), que é uma mistura de série e entrevista.

E 2009 foi um bom ano também para a smart: a marca foi o primeiro grande fabricante europeu de automóveis a iniciar a produção em série de um veículo elétrico na fábrica smart em Hambach.

2009
mobilidade elétrica smart story 2009 – produção em série em Hambach

O paradigma smart.
 

Em 2012 vive-se alguma confusão em torno do selo de origem "Made in Germany". O motivo é a alegada reflexão da UE de passar a atribuir apenas o selo de qualidade em circunstâncias especiais. Precisamente a tecnologia especial das empresas alemãs goza de uma excelente reputação a nível mundial.

Ao invés de discutir, a Daimler AG volta mais uma vez a pôr em prática o selo de qualidade "Made in Germany": a nova geração do smart elétrico é acionada por baterias de iões de lítio altamente eficientes da subsidiária da Daimler ACCUmotive da cidade de Kamenz na Saxónia – com êxito. A smart mantém-se líder de mercado entre os fabricantes de veículos acionados por bateria durante três anos consecutivos.

2012
2012: mobilidade elétrica smart story – a 2.ª geração

Uma inovação raramente vem só.
 

Em 2013, a Daimler causou sensação por duas vezes: com o maior e o menor ligeiro de passageiros no portfólio. O Mercedes-Benz S500 Intelligent Drive estabeleceu um marco com a primeira viagem totalmente autónoma pela cidade e pelo campo. O Classe S viajou cerca de 100 quilómetros sem intervenção do condutor – inclusive no trânsito urbano. A combinação entre elegância e inovação pode assumir muitas formas, tal como demonstra o smart forjeremy, concebido por Jeremy Scott, um extravagante designer de moda com uma paixão por asas. O showcar de acionamento elétrico, com asas em fibra de vidro encenou mais uma vez a temática da mobilidade elétrica de uma forma totalmente nova. O dois lugares chegou mesmo ao mercado como uma edição especial numa versão ligeiramente modificada.
 

"I love it."

Jeremy Scott
2013
smart for jeremy: mobilidade elétrica smart story 2013

A smart inicia um capítulo totalmente novo.

 

O smart fortwo, smart fortwo cabrio e o smart forfour com motor elétrico comemoram o seu lançamento mundial no Salão Automóvel de Paris no outono de 2016.Não só a smart é o único fabricante de automóveis a oferecer motores elétricos em toda a sua gama de modelos, como o smart fortwo cabrio é o único cabriolet elétrico do mundo.

2016
Todos os modelos elétricos - mobilidade elétrica smart story 2016

A emoção mantém-se.

 

O conceito de mobilidade urbana da smart está, entretanto, tão interligado e é tão inteligente, que há muito que os condutores não se limitam a conduzir: é possível partilhar o veículo através do smartphone, procurar lugares de estacionamento online e controlar importantes funções do veículo recorrendo a apps. Os modelos smart electric drive transforma-se, em 2018, nos modelos smart EQ fortwo e forfour. Descobre uma forma inovadora, melhor e mais inteligente da mobilidade urbana.

2018
electric intelligence

Temas relacionados com a mobilidade elétrica smart.