O novo procedimento de testes de consumo e de emissões de gases de escape WLTP (Worldwide Harmonized Light-Duty Vehicles Test Procedure ou procedimento de teste global harmonizado para veículos ligeiros) assegura mais transparência e vem substituir sucessivamente o NEDC (novo ciclo de condução europeu). O WLTP será obrigatório para todos os estados-membros da UE e outros países estão a analisar a sua introdução posteriormente.


Esclarecimento referente ao WLTP e ao NEDC

A partir de 1 de setembro de 2017, foi introduzido com o WLTP um novo procedimento para testes de consumo e de emissões de gases de escape, o qual deverá fornecer resultados de teste mais próximos da condução real do que o atual NEDC. Todos os veículos desenvolvidos recentemente ou os veículos equipados com agregados novos estão certificados de acordo com o WLTP desde setembro de 2017. A partir de setembro de 2018, o regulamento WLTP será aplicável a todos os veículos que requeiram nova homologação. Desta forma, o  portfólio de veículos ligeiros de passageiros smart deverá ser certificado conforme o WLTP até agosto de 2018. Na fase de transição, serão oferecidos em paralelo veículos com certificação WLTP e com certificação NEDC. Além disso, haverá um valor de consumo NEDC derivado das condições-limite do WLTP, que também será mais elevado e que poderá ser consultado até 2020 nos documentos de venda.

Esclarecimento referente ao WLTP e ao NEDC

Comparação entre WLTP e NEDC

  WLTP NEDC
Temperatura de arranque frio frio
Duração do ciclo 1.800 s 1.180 s
Tempo de imobilização 242 s 267 s
Percentagem de tempo de paragem 13,4% 22,6%
Distância 23.262 m 10.931 m
Velocidade máxima autorizada 131,3 km/h 120 km/h
Velocidade média 46,5 km/h 33,35 km/h
Equipamento especial do modelo individual são considerados para peso, aerodinâmica, resistência ao rolamento, consumo da rede de bordo; sem ar condicionado continuam a não ser considerados, excetuando os pneus; 
sem ar condicionado
Temperatura 23°C 25 +/- 5°C

O que significa isto para mim como cliente?

A introdução do WLTP (Worldwide Harmonized Light Vehicle Test Procedure) garante mais transparência no que diz respeito ao consumo de combustível. Os clientes beneficiam do WLTP, uma vez que fornece um termo de comparação realista para os valores de consumo e de emissões de diferentes modelos de veículos. As diferentes condições-limite, aliás, implicarão também a alteração dos valores de CO2 e de consumo: devido ao processo, um veículo idêntico em termos técnicos terá no WLTP um valor de CO 2 e de consumo numericamente superior ao NEDC (novo ciclo de condução europeu). Isto deve-se ao facto de o novo ciclo levar em consideração equipamentos especiais e ter condições-limite mais rigorosas.

O WLTP fornece valores exatos.

O WLTP fornece valores exatos.

Uma vez que o WLTP considera o equipamento individual dos veículos, os valores são mais precisos do que no NEDC, sendo praticamente específicos do veículo em questão. Isto não provoca qualquer alteração no consumo quotidiano atual.
A partir de setembro de 2017, será introduzido na indústria automóvel um novo procedimento para testes de consumo e de emissões de gases de escape; todos os tipos de veículo com nova certificação serão analisados em conformidade com o WLTP. O valor de consumo NEDC continuará a ser apurado em paralelo e apresentado nos materiais promocionais como o único valor de consumo válido.
Até setembro de 2018, a smart irá certificar o seu portfólio sucessivamente em conformidade com o WLTP. A partir deste momento, os novos valores WLTP serão previsivelmente divulgados em todos os documentos de venda e restantes publicações. Os modelos descontinuados serão apresentados com o consumo NEDC.

Introdução do ciclo WLTP.

Introdução do ciclo WLTP.

O WLTP pretende harmonizar o procedimento de testes a nível global. O objetivo é fornecer resultados de teste mais próximos da condução real do que o procedimento NEDC. Os veículos usados não são afetados por esta alteração e irão manter os seus valores NEDC certificados. Pelo menos até ao final de 2020 serão apurados para todos os veículos tanto valores WLTP, como valores NEDC, os quais poderão ser consultados em paralelo nos documentos do veículo a partir da respetiva certificação. A partir de 2021, os valores de medições WLTP apurados serão os únicos valores de consumo e de emissões para todos os veículos ligeiros de passageiros, desde que o respetivo estado-membro da UE tenha adaptado o seu sistema fiscal para o efeito. As fases de teste efetivas do WLTP são abreviadas com a designação WLTC e dividem-se em três classes. Praticamente todos os veículos ligeiros de passageiros são testados na Classe 3 do WLTC (Worldwide Harmonized Light-Duty Vehicles Test Cycle) que é aplicável a todos os veículos ligeiros de passageiros com uma relação potência/peso superior a 34 kW/t (46 CV/t massa sem carga).

O WLTP: Mais transparência.

O WLTP: Mais transparência.

Graças ao WLTP, os clientes smart têm à mão valores de consumo específicos do veículo, que são não só mais realistas, como também mais transparentes. A comparabilidade transversal aos fabricantes e aos modelos mantém-se, mas os consumos apurados são mais próximos do quotidiano e consideram fatores mais diferenciados do que no NEDC. A smart defende também um novo teste de laboratório mais realista, bem como medições na estrada, o que proporciona mais clareza, transparência e segurança aos clientes smart. Com a introdução do WLTP e do RDE (Real Driving Emissions) dá-se um importante passo nesse sentido.

O que significa isto para os clientes?

O que significa isto para os clientes?

No futuro, através da seleção de equipamentos especiais, os clientes poderão apurar o valor de CO2 do seu modelo de veículo com maior precisão do que até à data. De modo a garantir clareza e a máxima transparência possível, a smart irá acompanhar ativamente as fases de introdução do WLTP e informar os concessionários e os clientes de forma direcionada. Isto incluirá também uma nova forma de apresentação relacionada com os equipamentos: do modelo com o consumo de energia mais baixo à versão com os requisitos energéticos mais elevados. Em termos numéricos, esta amplitude vai de "WLTP Low" (equipamento especial mínimo) até "WLTP High" (equipamento especial máximo).


Poderá solicitar os seus resultados RDE desta forma.

Poderá solicitar os seus resultados RDE desta forma.

Conheça o comportamento de emissões do seu veículo em condições reais.

Conheça o comportamento de emissões do seu veículo em condições reais.
A designação "Real Driving Emissions" (RDE) descreve o comportamento de emissões de gases de escape real de automóveis, veículos comerciais pesados e autocarros na utilização quotidiana. Até à data, as medições dos gases de escape para a homologação de um modelo eram realizadas exclusivamente em  bancos de ensaio. Desde a entrada em vigor da legislação RDE (UE) 427/2016 em março de 2016, as emissões deverão ser medidas também na condução real, no âmbito de um quadro definido. Em conjunto com os valores limite RDE que deverão ser cumpridos na condução real  a partir de setembro de 2017, trata-se de um passo significativo em direção a um futuro automóvel mais limpo e menos poluente.

Os resultados RDE dos nossos veículos smart, obtidos não só por nós enquanto fabricantes, mas também por entidades independentes com aprovação estatal, podem ser solicitados através do seguinte formulário, indicando a família de teste PEMS do seu veículo smart. 


Questões frequentes.

O que é o WLTP?

A abreviatura  WLTP significa Worldwide Harmonized Light-Duty Vehicle Test Procedure  (procedimento de teste global harmonizado para veículos ligeiros) e é um procedimento de teste que apura os valores de consumo e de emissões dos gases de escape de um veículo num dinamómetro. A partir de 1 de setembro de 2017, o WLTP será introduzido progressivamente, acabando por substituir o anterior procedimento de teste NEDC.

Graças à sua abordagem dinâmica, o WLTP aproxima-se significativamente mais da condução efetiva do que os procedimentos até à data. O WLTP distingue-se por acelerações visivelmente superiores, bem como por um perfil de condução substancialmente mais dinâmico. A velocidade máxima autorizada é elevada para 131 km/h  e a velocidade média aumenta para 47 km/h.

O tempo de condução é prolongado para 10 minutos, a percentagem de percursos em autoestrada representados no banco de ensaio aumenta e, em simultâneo, os tempos de imobilização são encurtados. O percurso de condução duplica para 23 quilómetros.

Os momentos de troca de velocidades são calculados previamente de modo específico para o veículo e a cadeia cinemática em questão. Todos os equipamentos especiais que podem influenciar a aerodinâmica, a resistência ao rolamento ou a massa do veículo passarão a ser incluídos na avaliação. O consumo de energia de funções conforto levará também a um aumento do valor de CO2. Na primeira fase do WLTP será excluído apenas o ar condicionado. Com o WLTP, pretende introduzir-se uma norma obrigatória a nível mundial.

Os países da UE serão os pioneiros neste campo. Isto ajuda a comparar o consumo de combustível e as emissões poluentes de veículos de diferentes fabricantes. Além disso, as normas contribuem para que as entidades oficiais possam verificar o cumprimento dos valores limite dos gases de escape definidos por lei, desde os hidrocarbonetos (HC) e o monóxido de carbono (CO), ao óxido de azoto (NOx) e às partículas .

O que é o WLTC?

Os ciclos de condução do WLTP são designados WLTC – Worldwide Harmonized Light-Duty Vehicles Test Cycle (ciclo de teste global harmonizado para veículos ligeiros). Para os diversos tipos de veículo foram desenvolvidos três ciclos de condução diferentes no WLTP, os quais levam em consideração a respetiva  relação potência/peso. A maior parte dos veículos ligeiros de passageiros homologados na UE, os quais têm uma relação potência/peso superior a 34 kW/t
46 CV/t), são atribuídos à Classe 3 do WLTC. O ciclo de testes para veículos da Classe 3 é composto por quatro partes: Low, Medium, High, Extra High. Estas partes simulam a operação do veículo dentro e fora das cidades, bem como em vias rápidas e autoestradas.

O que é o NEDC?

O NEDC (novo ciclo de condução europeu) é o ciclo de testes atualmente válido para os veículos ligeiros de passageiros. O primeiro ciclo de condução europeu entrou em vigor em 1970 com o objetivo de disponibilizar aos clientes valores comparáveis e replicáveis, transversais a todos os fabricantes automóveis. Em 1992 foi ampliado ao trânsito urbano. A velocidade média de 34 km/h no NEDC é reduzida, assim como as especificações de aceleração e a velocidade máxima de 120 km/h. A composição do ciclo já não corresponde à distribuição média atual dos diferentes tipos de percurso.

A aerodinâmica, o  peso, o consumo de energia realizado por equipamentos adicionais e funções conforto como o ar condicionado, o rádio ou o aquecimento do banco não são levados em consideração na medição. A isto acrescem parâmetros tecnológicos que favorecem a ocorrência de desvios.

A  tecnologia start/stop tem uma influência relativamente grande no NEDC, uma vez que o NEDC inclui uma grande percentagem de tempos de imobilização. Em veículos com caixas de velocidades manuais, não são considerados parâmetros específicos do veículo no apuramento dos momentos de troca de velocidades.

Isto pode causar grandes desvios de consumo em relação à condução real. Considerando a evolução tecnológica contínua, o NEDC já não se encontra atualizado, tendo-se tornado obsoleto.

O que é o RDE?

RDE significa Real Driving Emissions e constitui uma prova de estrada para a verificação das emissões poluentes e descreve o comportamento de emissões de veículos testado em condições reais na estrada. Até à data, as medições dos gases de escape para a homologação de um modelo eram realizadas exclusivamente em bancos de ensaio. Desde março de 2016, as emissões deverão ser medidas também na condução real, no âmbito de um quadro definido. Com a ajuda de um dispositivo PEMS (Portable Emissions Measurement System ou sistema de medição de emissões portáteis), são medidas as emissões de óxido de azoto (NOx), bem como de monóxido de carbono (CO). Posteriormente, serão apuradas também as emissões de partículas. Não existe um ciclo fixo para este efeito, uma vez que a condução e as medições são realizadas no trânsito quotidiano, cumprindo o código da estrada. Os veículos são conduzidos entre 90 e 120 minutos em vias públicas, com um terço do percurso realizado no trânsito urbano, um terço realizado fora das localidades e outro terço em autoestrada. Para a cidade está prevista uma velocidade média entre 15 e 30 km/h, na autoestrada a velocidade deverá manter-se entre 90 e 110, no mínimo, sem ultrapassar os 145 km/h. A temperatura exterior deverá estar entre os 0 e os 30 °C  e o ar condicionado encontra-se ativado.

O percurso de teste não deve ser realizado a mais de 700 metros acima do nível do mar e deve apresentar uma diferença de altitudes de apenas 100 metros. A partir de setembro de 2017, os valores limite das emissões poluentes da norma Euro 6 terão de ser cumpridos nas provas de estrada no RDE. Isto aplica-se numa primeira fase a partir de 1 de setembro de 2017 aos modelos que requeiram nova certificação e o mais tardar a partir de 1 de setembro de 2019 a todos os modelos.